Histórico 1

Tudo começou quando o Rev. Eliézer Batista Marra chegou à Igreja Presbiteriana da Ilha do Governador, em 1988,

disposto a levar a palavra de deus para além dos muros da igreja. Com seu jeito dinâmico e objetivo, iniciou em  20 de agosto de 1988, nos lares de alguns irmãos da igreja, classes de cinco dias para as crianças vizinhas a estes lares. Assim o diácono Francisco Leal e sua esposa Maria Helena Leal abriram sua casa, na rua Brigadeiro Newton Braga – Freguesia, para que lá funcionasse uma dessas classes, sob a coordenação da irmã Victória Norma Gomes Nordskog. A iniciativa serviu para estimular a igreja, que “acordou” para a necessidade de ter uma postura mais evangelística e, como consequência, as classes não apenas funcionaram durante 5 dias, mas tornaram-se uma programação fixa no calendário da igreja, passando à condição de Núcleo Bíblico Freguesia, em 06 de novembro de 1988, passando a funcionar numa garagem da casa dos irmãos diácono Adilson Jorge e esposa Selma Jorge, situada à rua Tremembé. Os Núcleos Bíblicos funcionavam aos domingos à tarde e uma equipe da igreja foi nomeada pelo conselho para liderar este trabalho. A primeira equipe designada para o Núcleo Bíblico Freguesia foi formada pelos irmãos: Maria Helena Leal, Vera Favatto, Angela Maria Gurgel, Diana Côrtes, Irany Cariello, Selma Maria Amaral Jorge, Joel Côrtes, Martha Morett, Marcelo Morett, continuando como coordenadora Vitória Norma Gomes Nosrdskog. O trabalho no Núcleo Tremembé (como ficou conhecido) desenvolveu-se de maneira muito abençoada e cerca de 30 crianças frequentavam regularmente as reuniões nas tardes de domingo. Entretanto, ao final do ano de 1989, os componentes da equipe responsável pelo núcleo bíblico não puderam continuar neste ministério, em função das várias atividades que desenvolviam na igreja. Foi quando a irmã Simone Marien que retornava do campo missionário, foi nomeada em janeiro de 1990, pelo conselho da igreja, para assumir a coordenação deste trabalho. O início foi difícil, pois o grupo de crianças que costumava frequentar as reuniões já havia se dispersado. Mas Deus já havia decidido implantar sua igreja naquele bairro. E a sua palavra diz: “Agindo eu, quem impedirá?” De maneira que, com a realização da EBF de julho daquele ano, o trabalho reacendeu e, a cada domingo novas crianças chegavam para ouvir as histórias da bíblia e aprender sobre o amor de Deus. Começaram a trazer os irmãos menores, os irmãos maiores, os amiguinhos, e a irmã Simone sentiu necessidade de solicitar ao conselho permissão para convidar outros irmãos que pudessem colaborar com o trabalho. O pedido foi aceito e, em agosto de 1990, começaram a chegar novos obreiros para o núcleo bíblico: Sheila Costanza, Márcia Moreira, Nívea Mozart, Gisele, Eduardo Maurício Côrtes Monteiro e Clarisse Moreira. A garagem usada já não era suficiente para abrigar todos os alunos e professores. Assim, os irmãos Adilson e Selma cederam também a varanda, o quintal, a cozinha, a sala ... Foi quando o conselho da igreja decidiu alugar uma casa para abrigar aquele trabalho. Enquanto o local era providenciado, as reuniões foram realizadas no CIEP João Mangabeira, na rua ilha das enxadas. E no dia 24 de março de 1991, a casa da rua João Teles de Menezes, n.º 55 foi consagrada para o serviço do senhor e o núcleo bíblico passou a ser ponto de pregação do bancários. Foi designado o presb. Samuel de Souza para ser o conselheiro do ponto de pregação e representante deste junto ao conselho da igreja. A primeira equipe de obreiros nomeada pelo conselho foi assim formada: Adilson Jorge, Áurea Nascimento, Clarisse Moreira, Danielle Ramos, Eduardo Monteiro, Elizabeth D’hypólito Coelho, Evandro Quintiliano de Miranda, Gerson Zambaldi, Ilca Lima Pacífico, Lília Pascoal de Souza, Maria da Conceição de Oliveira, Maria Marien, Nívia Mozart, Paulo Vargas Farias, Raquel Amaral, Selma Maria Jorge, Sheila Costanza, continuando como coordenadora Simone Marien. Logo o ponto de pregação começou a crescer!  A escola dominical constava de classes para crianças, adolescentes, jovens, adultos e catecúmenos. Foram organizadas a UCP e UMP e vários trabalhos na área da ação social eram realizados, visando a alcançar a vizinhança, tais como reforço escolar, alfabetização de adultos, curso de corte e costura, curso de artesanato para mulheres. Em todas estas programações havia um momento reservado para uma devocional, quando os alunos podiam ouvir a palavra de Deus e eram convidados a participar da escola dominical, culto dominical vespertino e demais programações.

VEJA AS FOTOS